Av. Dr. Timóteo Penteado, 490 • Centro • Guarulhos-SP

A Futura fábrica da Enfield no Brasil

Por Renan em 18/05/2022
A Futura fábrica da Enfield no Brasil

A Futura fábrica da Enfield no Brasil

 Essa semana, foi divulgado pela Royal Enfield a localização da mais nova fábrica enfield. O lugar será nada mais, nada menos, que em terras tupiniquins. Em Manaus, mais precisamente. O diretor da marca anglo-indiana, Claudio Giusti, afirma que não comprou a Danfa, nem pretende fazer isso. O acordo seguirá da mesma maneira como ocorrem os contratos com a BMW e KTW. Ou seja, a Royal Enfield terá uma linha de produção dentro da fábrica. Com ferramentas e funcionários próprios. Afirmou também, que está em seus planos futuros, ter uma fábrica própria no Brasil, sendo completamente independentes.

 

Confira agora, alguns dados obtidos sobre a nova fábrica.

Data de ínicio

 Sem uma data de início estimada ainda. Claudio Giusti, afirma que ainda tem de lidar com muitas questões tributárias do nosso país. Bem como os aspectos logísticos, visto que ainda precisam instalar os equipamentos,treinar a equipe adequadamente e conhecer a mão de obra local. Estima-se que a produção inicie ainda esse ano.

 Os Kits KCD virão da planta de Chennai, seu transporte será feito através de contêineres e aqui serão montados com auxílio de componentes nacionais, como kits de transmissão, alavancas de freio e muitos outros. Haverá certo índice de nacionalização, tal medida trará mais variedade para o mercado brasileiro e deixará os preços mais competitivos e acessíveis. Além, de claro, fortalecer a indústria nacional.
 

 Quais modelos serão produzidos

 Alguns dos modelos produzidos na nova fábrica, são parte do lineup atual: Himalayan 411, Meteor 350, Interceptor 650 e Continental GT 650. Claudio, afirma ainda que pretende ainda expandir mais esse line up de produção. A Classic 350, por exemplo, compartilha muitos componentes com a Meteor 350, dado isso, sua integração com a linha de produção será bem fácil, afiirma Gusti.

 Vale a pena citar também que, motos acima de 451cm² tem seu processo produtivo básico mais simples na região de manaus, o que em teoria, torna as coisas mais simples. Esses seriam os casos dos novos modelos com motor bicilíndrico de 650cm³. Mas ainda é incerto, devido as complexas leis tributárias brasileiras. “Se a produção local se provar mais barata e eficiente, optaremos por ela em vez da importação” afirmou o Claudio Giusti.

 A Royal Enfield tem compromisso de longo prazo com o mercado brasileiro. Estando em sexto lugar e, recentemente, por vários meses, o Brasil foi o país onde vendemos motos, depois da Índia. Nosso país é promissor.

 

 

Modelos Royal Enfield podem mudar por aqui

 A Royal Enfield está sempre aprimorando seus produtos. Então é natural que mudanças possam acontecer. As motos passam por ajustes constantes na Índia, que por sua vez são replicados nos outros lugares onde são vendidas. Por exemplo, no mês que vem a Himalayan 411 vai ganhar novas cores e um novo módulo de injeção (Engine Management System - EMS).

  A empresa ainda não conta com engenharia local de produto, manufatura e qualidade. Tudo tem sido importado da índia, com a montagem no Brasil, é provável que comecem uma engenharia local. 
 

Política de Preço da Royal Enfield

 “Não pretendemos mudar nossa política de preços. Consideramos os valores praticados atualmente bem-posicionados, o que é corroborado não só pela demanda, mas também pela própria imprensa especializada.” Disse Claudio em entrevista à Webmotors. Aparentemente não teremos uma surpresa em nossos bolsos.

 

Planos para o futuro

 Apesar das grandes restrições impostas pela guerra da Ucrânia e de uma pandemia não completamente resolvida. A Royal Enfild conseguiu equacionar sua produção na Índia, e agora, no Brasil. Apesar disso, ainda temos um período de espera de semanas, o que é compreensível. 

 Não há planos, pelo menos no momento, para modelos novos. Não até as demandas terem sido atingidas e a situação normalizada. Após a situação de demanda ter sido resolvida, e todos os problemas externos estiverem mais calmos, lançarão novos modelos. 

 

Meteor 350 

 Foi amplamente discutido que o modelo Meteor 350 perderia seu dispositivo tripper na Índia, devido a falta de chips e semicondutores. Existe sim, a chance desse problema ser exportado para o Brasil, mas não em curto prazo. Os estoques, a princípio, não foram afetados e seguem com o dispositivo em sua composição. A receptividade do dispositivo no país foi altíssima.



 

 

Expansão da rede de concessionárias

 O crescimento é exponencial, a Royal Enfield conta já com 20 concessionárias atendendo a quase todo território nacional, com exceção da região norte. Com a nova linha de montagem em Manaus, espera-se que esse problema seja resolvido. Além disso, há planos para a abertura de novas concessionárias em São Paulo e Belo Horizonte. Espera-se que em 2023, a marca tenha cerca de 25 concessionárias ao todo.
 

Comentários

  • Nenhum comentário. Seja o primeiro a comentar!

Aguarde..